CPI do BNDES aponta erro em pedido da OAB que manteve sigilo de celular-bomba

CPI do BNDES aponta erro em pedido da OAB que manteve sigilo de celular-bomba

- in Notícia
334
0

28.05.19   18.00 h


O relator da CPI do BNDES, Altineu Côrtes, mostrou hoje que o pedido da OAB ao STF que levou Cármen Lúcia a impedir a quebra de sigilo do celular de Francisco de Assis e Silva o qualificou equivocadamente como ex-diretor jurídico da JBS.

Durante a audiência, ele apresentou atas da companhia em que Francisco era nomeado como diretor de Relações Institucionais. A diferença importa porque o celular dele foi blindado pela sua condição de advogado, que tem garantido o sigilo de suas comunicações com clientes.

“Foi qualificado erroneamente, usando o manto de advogado, para acobertar um telefone que está apreendido, numa operação que busca identificar se houve um dos maiores desvios da história do Brasil”, disse o deputado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pode ser de seu interesse

EX PREFEITA BETI PAVIN DEIXA DE SANCIONAR PROJETO DE LEI DA CARAMBOLA E PACIENTES RENAIS CORREM RISCO DE MORTE

Data 25/01/2021 – 19:18 No ano de 2017